Página aberta

05 de novembro de 2019

Desde os 14 anos, quando tomei gosto por escrever, carrego sempre comigo um caderno no bolso ou na mochila para qualquer lugar que eu vá e já me acostumei tanto que quando esqueço e saio sem, é como se não estivesse levando a carteira ou a chave de casa. Posso não escrever nada, nem abrir o bloco, mas preciso saber que ele está comigo para qualquer necessidade. Hoje em dia existem vários aplicativos para celular que permitem salvar as notas na nuvem facilitando a sincronização, mas um caderno não serve apenas para esboçar ideias, anotar pensamentos, pois, quando preenchido, se torna um livro revelador do processo criativo do artista.

Escrever é também uma atividade física e não apenas mental. A forma como se executa a tarefa altera o produto realizado. Optar entre escrever à mão ou no computador acaba produzindo resultados diferentes. No computador você pode apagar a frase que foi digitada no exato momento do erro, enquanto que as palavras rabiscadas com caneta permanecem no papel e o escritor tem que avançar mesmo achando que não está bom.

Segundo uma pesquisa realizada na Noruega, a escrita manual “demanda mais esforço e concentração do cérebro, favorecendo o processo de aprendizagem.” Como os tempos atuais exigem agilidade e dinamismo, é muito raro encontrar alguém que não escreva no teclado. Geralmente as pessoas usam cadernos para anotações e o computador para textos mais longos.

A escrita manual demanda mais esforço e concentração do cérebro, favorecendo o processo de aprendizagem. Escrever devagar pode ser ótimo à medida em que forçar o cérebro a pensar mais lentamente pode gerar ótimos resultados. Para o escritor, o caderno é como a sala de ensaio do ator, ou o estúdio do músico. Truman Capote escrevia sempre à mão e deitado no sofá. J. K. Rowling também escreve à mão (e de preferência em viagens de trem). E a escritora Lynda Barry escreve os primeiros rascunhos de seus livros muito lentamente com um pincel.

Separei aqui algumas imagens dos cadernos de artistas que admiro e no final alguns dos meus esboços.

Veja as imagens