Olá. Eu nasci em agosto de 1984 em Salvador e moro no Rio de Janeiro desde 2007. Sou escritor de não ficção: ensaios, artigos, crônicas, roteiros, reportagens e entrevistas. Me interesso por arte, cultura, filosofia, tecnologia, internet e xadrez.

Escrevi e publiquei uns livros. Escrevo regularmente sobre cultura, arte e comportamento. Apresento um podcast sobre literatura. Entrevistei artistas contemporâneos. Também desenho cartuns e ilustrações. Fui editor e colunista do Ornitorrinco. Assine minha newsletter para receber novidades e ideias que me ocorrem durante meus processos de estudos, pesquisa e criação.

CONTEÚDO RECENTE

- Atualizado: 22 de março 2019

Retrato: Tagua Tagua. No novo episódio dos perfis que escrevo para o I Hate Flash, eu e Francisco Costa conversamos com Felipe Puperi, ex-vocalista do Wannabe Jalva que segue em carreira solo sob o nome de Tagua Tagua.

Massacre em Suzano. Por fugir das discussões complexas acerca da sociedade e do indivíduo é que chega-se a um país como esse que aqui está.

Segundo a pesquisa Ibope mais recente, o presidente ex-capitão está tendo o pior início de governo desde a eleição de Collor. Pesquisas realizadas por outros institutos apontam pelo menos três motivos para a diminuição da taxa de ótimo e bom.

O Bom Leitor. Ensaio sobre o prazer da leitura e a importância de estarmos constantemente nos abastecendo de textos que nos sejam significativos. Escrito e publicado originalmente na newsletter. Pode ler por aqui também.

Cartuns inéditos na Revista Piauí. Fiz uma série inédita de cartuns feitos intencionalmente para a publicação. A revista toda está demais, boa de ler do início ao fim, textos importantes e necessários. Os desenhos acabaram casando com as questões tratadas na edição (mas isso é mérito do editor). Estou orgulhoso por mais essa colaboração. Já nas bancas.

Making of do processo de escrita do próximo livro. Aproveitei o feriado de Carnaval e me isolei com família e amigos numa casinha na serra para finalizar o livro que será lançado no primeiro semestre deste ano. O livro vai se chamar "A Desobediência do Escritor".

Fim de Carnaval. Assim me despeço dessa longa semana de descanso (introspecção) e trabalho (expressão). Dizem que o ano só começa depois do carnaval, pois então essa semana foi um preparo para o ano começar. Trago vários brinquedos e bombas para mostrar para vocês.

Acordo às 6h30, nado um pouco, depois tomamos café da manhã, brinco com as crianças e se der tempo eu leio um pouco. Depois começo a trabalhar. Almoçamos juntos, tomamos café na varanda conversando sobre o dia e em seguida volto a ler e escrever no jardim, debaixo da sombra de uma árvore.

Uma folha em branco e uma caneta. É assim que tudo começa. Desde os meus 14 anos, quando tomei gosto por escrever, carrego sempre comigo um caderno para qualquer lugar que eu vou.

Participei do projeto Retratos, dirigido pela documentarista Clara Cavour. Clara foi até o meu estúdio em uma manhã fria no Rio de Janeiro, mostrei meus cadernos e falei sobre processos, criações, angústias e projetos futuros.