Carnavália
(ficção)

ESPECIAL 10 ANOS

Carne aval. Carne navalha. Carne valia. Neste livro de estreia, Gabriel Pardal atravessa o leitor com reflexões poéticas a respeito da sociedade de consumo. Com o humor de sua prosa poética, questiona a busca incansável das pessoas por notoriedade e fama; o culto às celebridades, pílulas de emagrecimento, shopping centers, redes sociais... Não há enredo nem personagem central. São ideias fragmentadas, monólogos, jogos, notas, piadas. Com habilidade analítica, Pardal captura momentos de uma vida urbana, multifacetada e guiada pelos eventos da mídia, para construir um texto simultaneamente crítico, divertido e pop.

Carnavália é essencialmente um livro sobre a violenta transformação das pessoas em mercadorias, em produtos capazes de obter atenção e atrair demanda. Mas o que você vai ler é, sobretudo, um livro poético. A prosa contemporânea de um garoto que carrega explosivos.

Edição especial do livro na íntegra, revisada e com textos inéditos

Impresso

Capa dura e paperback com textos inéditos

Digital

Você pode baixar o livro de graça em ePub ou comprar na Amazon (que eu ainda ganho um trocadinho).

Comentários

"Li o Carnavália, livro de estréia de Gabriel Pardal. Livro cheio de graça, que sacaneia a sacanagem com plena dignidade. É pra ser lido e engolido. Cabe em barriga vazia ou cheia, tanto faz." (Botika)


"Acabei de ler ontem! Quer dizer: Cheguei na última página: Livro assim não se acaba de ler nunca... depois dá vontade de abrir numa página qualquer e ir lendo ao leo..." (Maria Rezende)


"Tô bem feliz de estar publicando esse livro! Ele me inspirou bastante e estou até escrevendo um troço aí que surgiu na minha cabeça quando eu o estava revisando. Não sei se vai dar certo ainda. O ritmo do Carnavália contamina!" (Flávia Iriarte)


"Nesta semana, no meu trajeto ao trabalho, dentro de um ônibus cheio de pessoas vazias, perdi o sono com o livro de estréia do Gabriel, O Pardal. Que fera! Que Garra! Animal! Carnavália é o livro que se desnuda sem precisar estar num carnaval. E prega uma peça bonita nessa gentalha. Pardal dá o troco nesta palhaçada toda sem receber um tostão. E neste circo armado de fanfarrões e carrascos mascarados de apresentadores de comerciais, Gabriel, o professor-pardal, só quer mostrar pros senhores e para as senhoras a mais nova invenção que o mundo já conheceu, da mais alta inovação ideológica que um homem já conseguiu: Carnavália." (Bráulio Coelho)


"Terminei uma das leituras mais incríveis que tive. Carnavália, do Gabriel Pardal, o garoto que carrega explosivos. Senti-me parte da leitura, desde a primeira a última página. Há que se dizer que me senti um produto nessa imensa prateleira da vida, da mídia, do todo que cerca nosso dia a dia. Em Carnavália, Pardal brinca com nossas certezas e incertezas. Cutuca com vara curta, curtíssima na verdade, e num jogo cadenciado de palavras dita o ritmo de nossos pensamentos. Nos leva daqui a ali em instantes de reflexão. O que de fato importa? O que de fato vale a pena ser ou ter? O que de fato? Fato? Brilhante do início ao fim. Tenho orgulho de, por acaso, ter encontrado na web esse laboratório, fábrica de bombas, NOMEDACOUSA. Prova viva de que há sim vida inteligente nesses tempos de instantaneidade e obsolescência mais que programada. Parabéns pelo livro, Gabriel Pardal. O primeiro de muitos!" (Hérica Rocha)

Extra

Trailer de divulgação do livro, realizado em 2011 no Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro. Direção Pedro Perazzo.

Durante o processo de criação do livro, o projeto chegou a ser pensado como filme. Com a colaboração de amigos, Pardal filmou alguns dos textos. Esses vídeos, feitos com poucos recursos técnicos, permanecem disponíveis.

- Trecho #02
-
Trecho #20
- Trecho #41
- Trecho #45
- Trecho #52 [Não publicado]
- Trecho #56 [Não publicado]
- Trecho #61 [Não publicado]

Fotos de lançamentos e eventos

Foto autor do livro (foto: Camilo Lobo, 2011)